TITLE: NOVA MORADA AUTHOR: TMA DATE: 1/26/2004 12:06:00 da tarde ----- BODY: www.docedaavozinha.weblog.com.pt e -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/17/2003 02:26:00 da manhã ----- BODY: Abaixo os penetras
O dono da festa já estava irritado com o número de penetras. Num determinado momento pediu silêncio a todos e anunciou um acontecimento especial. - Peço aos convidados do noivo que se coloquem à minha direita.... Um monte de gente ainda mastigando as empadinhas se dirigiu à direita. - E agora eu peço que os convidados da noiva se dirijam à minha esquerda. Mais uma multidão se locomoveu com seus copos e salgadinhos para a esquerda. Feito isto o dono da festa anunciou: -Agora peço aos convidados à minha direita e à minha esquerda que se ponham daqui para fora, pois isto aqui é um baptizado!
-------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/17/2003 02:15:00 da manhã ----- BODY: Agradecimentos Apesar de não ser "um dos nossos" congratulo-me pela Direita ter provado os doces da avozinha, bem como retribuo à Memória Virtual. -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/17/2003 02:07:00 da manhã ----- BODY: Imagem -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/17/2003 02:01:00 da manhã ----- BODY: Bufices Parece que está encontrado o juiz para o bufo! -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/17/2003 01:58:00 da manhã ----- BODY: Bruxarias Parece que o bruxo já sabe que Saddam é bufo! Será que tem o previlégio de assistir aos interrogatórios? -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/17/2003 01:54:00 da manhã ----- BODY: Cabalas Parece que afinal alguém acordou no PS. -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/15/2003 10:30:00 da manhã ----- BODY: O artigo do mês
Este artigo que anexo simboliza a ideia de milhões de portugueses que todos os anos se encontram nas respectivas festas, mas que apesar de possuírem este sentimento (eu incluído), continuam a ir aos jantares. "Por um Natal sem jantares! Entrámos no mês de Dezembro e aproximamo-nos vertiginosamente do momento mais doloroso do ano para todos os que trabalham em empresas: o jantar de Natal. Não há pior seca que desperdiçar aquelas horas da nossa existência no mais complexo exercício de cinismo a que tal função nos obriga. Há mesmo caso de relatos de trabalhadores que entram em delirium tremens na véspera do famigerado jantar e até de outros que optaram por se atirar da janela para o precipício ao soarem as badaladas das oito. O que é difícil de saber é aquilo que mais nos agonia. Se o sorriso idiota do chefe que ainda ontem nos deu uma rabecada só por a gente se ter atrasado a conferir as facturas do mês e que agora nos passa a mão pelo pêlo. Se o cheiro do sovaco da dona Guilhermina que nos calhou em sorte, ao lado, na mesa. Se o discurso baboco do patrão, com aquelas tretas nojentas que somos todos uma grande família quando se está mesmo a ver nos olhos do gajo que o tipo se prepara para cortar a cabeça a metade da malta que ali está. Também faz parte desta infeliz tradição misturar o maralhal todo para fingir que até somos todos iguais e que lá isso de uns ganharem dez vezes mais que os outros não tem importância nenhuma, pois o que importa é que estejam todos a contribuir para o bem comum, ou seja, para a felicidade dos tipos lá de cima, que com a distribuição dos lucros da firma sempre podem sacar umas gajas boas para dar umas voltinhas sem terem de se sujeitar ao refugo de bares de segunda ou umas viagens a Bragança. É assim perfeitamente normal que fiquemos entalados na mesa entre o electricista da manutenção, que arrota entre cada pastel de bacalhau que abocanha, e a dona Aurora da secção de pessoal, mulher portadora de uma grande rodagem de estrada, mas que a idade fez encostar às boxes, e que se vai roçando languidamente pelas nossas pernas acima à medida que vai emborcando copos de branco. É então que se coloca o problema de saber o que se há-de dizer àqueles seis ou sete marmanjos com quem repartimos a mesa. Contar anedotas porcas pode ser perigoso, porque nunca sabemos se o administrador que para ali está a fingir que é igual a nós não será maricas e nos limpa o sebo logo no dia a seguir. Falar de gajas e futebol equivale a sermos fulminados pelo mulherio que nos fica de trombas para o ano todo. De trabalho, nem pensar, porque isso fazia logo com que cada um começasse a puxar pelos galões e lá se ia por água abaixo a fraternidade. A única saída é mesmo a de ficar calado, com um sorriso idiota nos lábios, dizendo para o da esquerda que a sopa está melhor do que a do ano passado e para o da direita que o bacalhau está uma delícia. A melhor safa destas coisas é mesmo arranjar-mos maneira de ficar ao lado da estagiária que entrou o mês passado, gastarmos o jantar nos preliminares do paleio e partirmos a seguir para uma visita às iluminações de Natal. Com um bocado de sorte, recebemos logo naquela noite um presente caído do céu." Manuel Ribeiro In "Notícias Magazine" de 07.DEZ.2003
-------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/14/2003 10:16:00 da tarde ----- BODY: Sentimento Permitam-me isto, é que hoje só me apetece dizer "We have got him". -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/13/2003 03:04:00 da tarde ----- BODY: Imagem Cabo da Roca, Portugal -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/12/2003 01:45:00 da manhã ----- BODY: Novos Estádios
Por muitos se calhar desconhecido, mas hoje à noite disputou-se no novo Estádio Municipal de Aveiro (parece que vai ser novo Mário Duarte), o jogo de inauguração da equipa do Beira-Mar, neste que vai ser o seu novo estádio. A referida inauguração teve como encontro o Beira-Mar - Ossasuna (Espanha) que terminou com a marcação de penalidades. Mas, o importante é que estavam a assistir 10 mil pessoas, num estádio com capacidade para 30 mil. (apesar do apelo feito no blog do Beira-Mar não o encheram) Quando confrontado com esta situação, Mano Nunes, Presidente do Beira-Mar respondeu que o dia era mau, porque se trabalha amanhã, e prometia que da próxima pelo menos o 1º Anel estaria cheio. A realidade é que esta será a imagem dos novos estádios, à excepção dos três grandes. Se não vejamos, a Académica no seu novo estádio tem uma média de 7 a 8 mil espectadores, em Guimarães a média baixa para os 4 ou 5 mil, em Leiria e Algarve nem se joga, em Braga está por concluir e tudo em estádios com 30 mil lugares. Em Alvalade a média deve ser 25 a 30 mil, num estádio de 50 mil, no Dragão continua o problema da relva, e a Nova Catedral só encheu na inauguração e a sua média deve rondar os 20 a 25 mil. Assim vai o futebol nos novos estádios em Portugal. O importante, pelos vistos, foi a frase final do comentador da SportV (onde foi transmitido o jogo): "Mais um estádio novo em Portugal".
-------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/12/2003 01:28:00 da manhã ----- BODY: Livros-3
"Os azulejos que cobrem as paredes de Lisboa contam a história de uma cidade feliz. Este livro convida-nos a descobrir uma Lisboa mais secreta, onde a memória e o imaginário se sobrepõem. Este livro de História lê-se como se fosse um romance, mas permite-nos saltitar entre as várias épocas (capítulos) da cidade: rever o século XX e depois regressar aos fenícios ou às judiarias, às sedas e brocados da Rua Nova no século XVI ou ao Marquês de Pombal. No capítulo final, Sobreposições, encontramos algumas notas pessoais que demonstram bem a sensibilidade de Dejanirah Couto. Eis um extracto. "Rua Sebastião Saraiva Lima. (...) Em certos dias, o silêncio da rua era quebrado pelo assobio estridente do amolador, que passava com a sua carroça. Assim que ouviam esse som pungente, as donas de casa diziam umas às outras que vinha lá chuva. A vida desenrolava-se então em pátios interiores e escadas de serviço. Sentados nos degraus, os inquilinos falavam uns com os outros enquanto descascavam favas ou ervilhas. Antes do Natal, era aí que os perus ficavam sem pescoço, perante o olhar aterrorizado das crianças. As escadas serviam também para mandar recados, fazer os trabalhos da escola, fumar cigarros de barba de milho às escondidas, ou ler o Detective." Desanirah Couto foi mais uma das muitas pessoas que fugiram para França por não concordarem com o Estado Novo, na sua entrevista à revista Máxima (via Google), Desanirah explica-nos porque saiu, porque não voltou, e porque acha Lisboa uma cidade feliz. Foi com uma leitura devoradora que li este excelente livro sobre a história da minha cidade. Uma boa oferta de Natal a todos os Lisboetas, para que os mesmos, conheçam ainda mais a sua história. Uma última nota para corrigir, se é que possível a autora, os manjericos não murcham se se tocarem, mas sim se se cheirarem directamente.
-------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/11/2003 02:56:00 da manhã ----- BODY: A História de um futebolista acabado
Alberto Gonçalves conta-nos a sua história de futebolista acabado para o futebol, por uma questão de camisolas. Como o compreendo, eu também nesse colosso clube chamado Domingos Sávio (sim, esse! Donde saiu Quaresma, Dominguez, José Carlos, Fidalgo e o puto João Pereira), enterrei as minhas chuteiras e ofereci com toda a pompa e circunstância a minha camisola ao Mister, que pelo que sei, no jogo seguinte deu-a ao jogador que me substitiu. Como se pode constatar a entrega da referida camisola, sensibilizou e muito o meu treinador. Mas, tudo iso apenas para dizer, Alberto ainda bem que pensa assim, porque eu também penso dessa forma. Aliás, quando me perguntam, mas és do Benfica porquê? Eu apenas respondo porque sou, porque não podia ser de outro clube, que só podia ser do clube que mais paixão assola numa pessoa. Sei que com esta afirmação todos os adeptos dos restantes clubes à face da Terra me insultarão, mas não faz mal, porque eu sou como o Alberto, não dispo a camisola, e até ao caixão, posso ter mudado muita coisa, mas o Benfica não troco por nada deste Mundo.
-------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/09/2003 01:31:00 da manhã ----- BODY: Mugabe anuncia saída da Commonwealth Blair e seus amigos já não dormem hoje. -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/09/2003 01:28:00 da manhã ----- BODY: Alpinista
Escalou o corpo sinuoso de Daniela Pestova e ajeita-lhe agora a lingerie. Um momento caricato da colagem de um cartaz publicitário gigante – 126,5 metros quadrados –, com as supermodelos Pestova e Naomi Campbell. No centro de Genebra, Suíça.
(via Sic Online) Quem não gostaria também de escalar? -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/09/2003 01:24:00 da manhã ----- BODY: Mais uma cabala?
O Secretário de Estado da Agricultura e Pescas do Governo Regional dos Açores demitiu-se hoje por alegadamente o seu nome ser um dos putativos pedófilos nos Açores. Diz Ricardo Rodrigues que "...Nada tenho a ver com os processos, que têm vindo a público, mencionados em alguns órgãos de comunicação social, relativos a qualquer caso de abuso sexual de menores. Não posso, porém, ignorar, a existência de uma onda de boatos, calúnias e referências implícitas à minha pessoa, relacionadas com os aludidos processos. Embora sem notícia de qualquer investigação ou menção à minha pessoa por parte das autoridades de direito, tomei a decisão de apresentar a Sua Excelência o Senhor Presidente do Governo Regional o meu pedido de demissão do cargo governamental para que fui nomeado. tal como aconteceu já com outros políticos sobre os quais recaíam suspeitas injustas que posteriormente se comprovaram falsas, mas que souberam, tal como agora o faço, prezar a sua honra e a das instituições democráticas". Ora bem, então se Ricardo Rodrigues está de consciência tranquila, se apenas existem boatos, porque se demite? E, quem são os políticos que Ricardo Rodrigues fala quando, afirma que outros em que recaíam suspeitas injustas, posteriormente se comprovaram falsas? Seria Paulo Pedroso? Mas, já se provou alguma coisa, sobre Pedroso, que eu ainda não saiba? De toda esta história, apenas podemos retirar uma novidade, é que Carlos César e Ricardo Rodrigues não falaram em cabala. Mas, Ferro Rodrigues ainda não falou, e não me espantaria que viesse novamente com a teoria da cabala. Desta vez, se calhar com o pretexto das eleições regionais. Que podre vai o nosso país.
-------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/08/2003 02:54:00 da manhã ----- BODY: Parabéns Queirós
Quatro portugueses em Nou Camp: Queirós, Peseiro, Figo e Quaresma. Num jogo extremamente bem jogado, Queirós e seus pares fizeram história. Vinte anos, doze treinadores depois (o último tinha sido a velha glória Di Stéfano), o Real voltou a ganhar em Barcelona. As capas dos jornais espanhóis ilustram as duas faces da moeda.
-------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/05/2003 06:59:00 da tarde ----- BODY: Sá Carneiro
Fez ontem 23 anos que Portugal perdeu um dos seus maiores estadistas. CAA faz hoje o relato de como enfrentou a morte de Sá Carneiro. Poucos não terão sentindo o mesmo, e uma certeza "...O PSD dos últimos 20 anos é um partido acomodado de comodistas sem a mínima vontade de alteração do status quo . O PSD de hoje, efectuado há muito o assassínio ritual do seu pai fundador, é a negação viva de quase tudo o que Sá Carneiro representava". E caro CAA para mim esta afirmação é válida: "...Não idolatramos Sá Carneiro apenas depois da sua morte, de alguma maneira já o fazíamos antes. Pela diferença abismal que ele era, face aos políticos do seu tempo. E os dos tempos que vieram depois ".
-------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/05/2003 06:42:00 da tarde ----- BODY: What Famous Leader Are You?
O escárnio alertou-me para este teste What Famous Leader Are You? .
O resultado foi este:


What Famous Leader Are You?
-------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/05/2003 06:35:00 da tarde ----- BODY: Os Hábitos
JPC fala hoje do hábito vil que existe em Portugal (e não só, em África espera-se 2 horas após a hora marcada) do atraso sucessivo às horas marcadas para o encontro. De tal forma que essa prática existe, e que existe além-fronteiras, que António Fagundes escreveu e representa uma peça de teatro intitulada "Sete Minutos", que esteve em cena no Coliseu do Porto nos dias 14,15 e 16 de Novembro e posteriormente em Lisboa. "A peça SETE MINUTOS, de António Fagundes, conta a história de uma Companhia de Teatro numa noite agitada e cheia de surpresas. O Actor (António Fagundes) interrompe o espectáculo (Macbeth) por causa de um telemóvel que toca na plateia". E para cúmulo dos cúmulos na revista do Expresso esta semana, vinha a referência a que António Fagundes às 21 Horas fechou as portas do teatro tanto no Porto como em Lisboa, e foi ver o público habituado aos atrasos (parece que é fino) a bater com chapéus de chuva nas portas. António Fagundes já tinha feito o mesmo a Lula em São Paulo, ou seja, o PR brasileiro chegou atrasado e ficou de fora. Bravo Fagundes!
-------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/05/2003 06:15:00 da tarde ----- BODY: Apuramento
Acabei de conhecer o grupo em que Portugal ficou para a Fase de Apuramento para o Mundial de 2006 a realizar na Alemanha. Eis o Grupo: Portugal, Rússia, Eslováquia, Letónia, Estónia, Liechtenstein e Luxemburgo Será que os seleccionados aproveitarão para aprender algum curso Marxista? É que à excepção do Luxemburgo, onde jogaremos em casa, será a viagem até à ex-URSS. Vejam as diferenças, antigamente era só preciso fazer um jogo.
-------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/05/2003 06:12:00 da tarde ----- BODY: Agradecimento A Voz do deserto já comeu o docinho da avó. -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/05/2003 02:06:00 da manhã ----- BODY: Novo Link Sangue, Suor e Lágrimas, nos desenhos deste blog. -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/05/2003 01:54:00 da manhã ----- BODY: Pensamento “Teoricamente, a teoria e a prática são a mesma coisa... mas na prática não.” -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/04/2003 02:16:00 da manhã ----- BODY: Acordo Histórico
Depois de ver e reler a notícia do acordo histórico na AutoEuropa, fico satisfeito por perceber que neste país ainda existem pessoas que se consigam sentar a uma mesa de negociações e redigir um acordo sobre o futuro e o destino da vida de outros. O acordo efectuado entre a Auto Europa e a Comissão de Trabalhadores, vêm revolucionar os acordos laborais em Portugal. Todos estamos habituados a ver os trabalhadores na rua a fazer manif's, a fechar as fábricas, a fazer greves, e os patrões a fazerem o belo braço de ferro, dizendo que não podem pagar mais. No mesmo dia em que acontece este acordo, o Admistrador da OlivaCast, propôs aos trabalhadores o congelamento dos seus ordenados para a empresa pagar as contas de electricidade. Todos os patrões que tive e, por muitas razões que tenha deles, sempre tiveram como primordial o pagamento aos seus funcionários no dia que estava estipulado. Mas, nem todos têm a mesma sorte que tive. Voltando ao acordo, julgo que o mesmo deverá servir de exemplo aos patrões e trabalhadores e seus sindicatos, para solucionar os problemas que aparecem a espaços em algumas empresas. Se nalguns existir a inteligência de redigir, como o que a AutoEuropa assinou com os seus trabalhadores, julgo que todos ganharam com isso, e o país também. Porque com acordos deste tipo, Portugal ganha menos 800 trabalhadores no desemprego. Será que não é bom para o país? Muito melhor, que todas as retomas do Luís Delgado.
-------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/04/2003 01:58:00 da manhã ----- BODY: Insónias
Existe pior situação que uma insónia? Normalmente as ditas cujas, aparecem em momentos inexplicáveis, por vezes até em momentos de maior cansaço ou mesmo stress. Tanto aparecem na noite anterior a um exame, a uma entrega de um relatório importante, a de uma reunião com a Administração que poderá definir o nosso papel na Empresa nos próximos tempos, ou então aparecem em momentos sem qualquer explicação. Tudo começa no deitar a cabeça na almofada. Escolhemos a nossa posição habitual e passado o tempo normal de adormecimento, começa o vira para um lado e para o outro. Aí começamos a pensar em tudo, nas contas por pagar, na doença do familiar, nas férias que não gozamos, nos golos falhados no último jogo, entre outros pensamentos sem nexo. Começamos a ouvir a torneira que se abriu no prédio, o vizinho que anda de elevador, o carro que derrapa na chuva, o avião que passa, o gato que mia, o cão que ladra, e NADA! Levantamo-nos e vamos para a sala ler aquele livro que deixamos a meio porque era aborrecido, mas passado uma ou duas horas, já o acabamos de ler e afinal até era razoável. Mas, e o sono? Copo de leite, NADA! Estamos a duas horas de nos levantarmos e olhamos pela última vez o relógio, entramos em transe, e por cansaço adormecemos. O "day after", bem o "day after", começa por um duche gelado para acordar, um café duplo, e uma má disposição transmitida por todo o corpo. As olheiras vêm até aos queixos, e ainda, para mais teremos que enfrentar o tal exame, a tal apresentação, ou mesmo a tal reunião. Após o almoço, já não sabemos quem somos, donde viemos, navegamos, voamos, é a alma andar sobre um corpo que não existe, que não está lá. Até que chega o momento tão aguardado, a chegada a casa, o saltar para a cama, e aí mesmo, que o terror de nova insónia aparece vos garanto que dura mais de 10 segundos.
-------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/04/2003 01:45:00 da manhã ----- BODY: Nomes Esperemos que o conteúdo também seja giro, interessante e motivante para um regresso assíduo. Ok Maria! -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/03/2003 06:28:00 da tarde ----- BODY: Agradecimento Obrigado Nuno. -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/02/2003 01:59:00 da manhã ----- BODY: Jarro Jardim Botânico, Funchal, Madeira -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/01/2003 02:18:00 da manhã ----- BODY: Frio -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/01/2003 01:54:00 da manhã ----- BODY: O título do Dia Da Sic Notícias para a capa da Playboy? -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 12/01/2003 01:48:00 da manhã ----- BODY: Livros-2
Mário Rui de Carvalho no livro "Por dentro das Guerras" conta-nos toda a sua vida atrás de uma câmara a filmar guerras e catástrofes. "...Isso não quer dizer que não tenha medo perante as situações complicadas em que me vejo regularmente envolvido...penso mesmo que é fundamental ter medo. Quando se chega ao ponto de relativizar o medo, e se tem consciência de que isso está a suceder, então é porque chegou a altura de dar um passo atrás e de proceder à reavaliação do que se passa". "...Nos cursos de formação que tenho dado nos EUA faço sempre a mesma pergunta, e quase ninguém responde acertadamente...Numa situação de guerrilha, de combate no meio urbano, o operador de câmara vai pela rua abaixo a filmar. De que lado deve seguir, que passeio deve escolher? O auditório encolhe os ombros e eu digo, alto e bom som: é sempre do lado esquerdo...nesta actividade não há canhotos, a câmara foi feita para andar sempre no ombro direito, em caso de necessidade é possível encontrar uma porta, um abrigo...o corpo fica protegido e só a câmara é que fica exposta às balas." "...sempre foi prática da CBS envolver naturais dos países onde estávamos no nosso trabalho". Estas três passagens, demonstram o seu carácter humano, o profissionalismo e experiência de Mário Rui e da CBS. Quando após algumas semanas, Portugal enfrentou pela primeira vez, um situação de alto risco com dois dos seus jornalistas, eu escrevi que os mesmos tomaram a atitude de entrar no Iraque por que somos um povo de aventureiros. Mário Rui no seu livro, demonstra-nos a profissionalização de um jornalista de guerra, ele que enfrentou a guerra da Guiné de arma em punho como comando do exército português, enfrentou depois, guerras de toda a espécie, as convencionais, as de guerrilhas, e mesmo de casa-a-casa, rua-a-rua, como no Haiti. Mas, a imagem que mais me marca no seu livro é o relato da sua passagem por Armero e a catástrofe de 1985 com a erupção do Nevado del Ruiz. "...Estou de joelhos, estou presa, o meu nome é Omarya Sanchéz, tenho 12 anos. Estou de joelhos, tenho as pernas presas, não me consigo mexer. É a minha tia, que estava comigo. Está morta e está entalada nas minhas pernas"..."Fui ver de novo a Omarya, já estavam os bombeiros a tentar tirá-la...Omarya entrou em estado de choque linfático e acabou por morrer após 36 horas de sofrimento...a mémória de Omarya ficou comigo, até hoje. Nunca mais me esquecerei de Omarya". Na semana passada, Mário Rui tinha escrito um excelente artigo no jornal Público, (que infelizmente não o tem na sua página online) onde falava da sua experiência e da forma como as empresas de comunicação em Portugal não têm cuidados redobrados com os seus correspondentes em locais de conflito. Fiquei ainda mais esclarecido depois de ler este livro de Mário Rui de Carvalho com a colaboração de Luís Costa.
-------- TITLE: Cavaco e o PEC AUTHOR: TMA DATE: 11/29/2003 02:04:00 da manhã ----- BODY:
Cavaco Silva afirmou hoje que O Pacto de Estabilidade está neste momento morto, pelo menos no que diz respeito à parte sancionatória. Penso que isso é uma indicação de que a Europa comunitária está sem rumo. Pelo que pude observar na blogosfera, como aqui, aqui, aqui, parece que as referidas declarações causaram algum espanto em certos bloguistas. Mas, pergunto eu, alguém, mesmo sendo social-democrata concordou com a posição que Portugal tomou? Eu não! Agora tenho que perceber, que infelizmente face à dimensão do nosso país, e aos erros do passado como 2001, tivemos que nos vergar aos interesses das duas maiores potências europeias. Quanto ao apoio de Cavaco a MFL, afirmando que a mesma defendeu uma posição em prol do interesse nacional, só posso concordar, aliás é a única forma de ver este apoio, para o considerar minimamente aceitável. Estariam à espera que Cavaco dissesse mal de MFL, Cavaco é um homem de Estado, sabe o que pode dizer, muito mais, da sua delfim.
-------- TITLE: O Título do Dia AUTHOR: TMA DATE: 11/28/2003 03:07:00 da tarde ----- BODY:
Dias da Cunha dizia ontem que os lenços brancos e os assobios não eram para Fernando Santos. Então era para quem? O Jogo hoje faz o título dos desportivos. A Tristeza que Adufe, é suplantada pela análise crítica do João Miranda
-------- TITLE: Título do Dia AUTHOR: TMA DATE: 11/28/2003 12:34:00 da manhã ----- BODY: Continuamos a falar de roupas interiores. -------- TITLE: Imagem do Dia AUTHOR: TMA DATE: 11/28/2003 12:17:00 da manhã ----- BODY: -------- TITLE: Terrorismo AUTHOR: TMA DATE: 11/27/2003 12:39:00 da manhã ----- BODY:
Concordo plenamente com o Paulo, ler e reler o artigo de Nuno Severiano Teixeira.
-------- TITLE: A Opinião do Dia AUTHOR: TMA DATE: 11/26/2003 07:25:00 da tarde ----- BODY: Uma carta para o Zé. -------- TITLE: Os títulos do dia AUTHOR: TMA DATE: 11/26/2003 07:21:00 da tarde ----- BODY:
O País continua a falar de tangas O Êxito brasileiro.
-------- TITLE: A esquerda AUTHOR: TMA DATE: 11/26/2003 02:43:00 da manhã ----- BODY:
Como já sabem tenho uma admiração por MMC, como sabem é ele o político que mais vontade de rir me dá. Como contribuição MMC criou um blog, e que gargalhada eu tive quando abri a página mais narcisista da blogosfera. Afirmo desde já que, nunca mais irei linkar o seu blog, porque eu sou como o Pedro Lomba e o Pedro Mexia nós não queremos entrar em Manuel Maria Carrilho. Não quis realmente acreditar como alguém pode ser assim. Agora que temos outro grande concorrente, a tal causa nossa, deles diga-se, espero para ver o confronto entre MMC e Ana Gomes, como se de um frente a frente se tratasse. O que irão dizer estas almas em Janeiro? Cuidado Guterres (outro blog nada narcisista), porque os ventos começam a soprar fortes, como se de uma América Cup se tratasse.
-------- TITLE: PEC AUTHOR: TMA DATE: 11/26/2003 02:30:00 da manhã ----- BODY: Eis para onde foi o PEC. Depois do acordo feito durante 9 horas de reunião (para quê tanta hora?) foi pelo buraco abaixo que o PEC foi. Como forma de mostrar à Europa o nosso apoio, afundamos o PEC no buraco. E agora MFL? Continua obcecada? -------- TITLE: JFK AUTHOR: TMA DATE: 11/23/2003 12:52:00 da manhã ----- BODY:
Já foi há 40 anos! Realmente, como o tempo passa depressa. Durante estes dias que antecediam a data da morte de JFK, a RTP, esse canal que devia ser ainda mais de serviço público, emitiu uma série sobre a vida de JFK. Uma série feita à alguns anos, protagonizada por Martin Sheen, para mim, o melhor actor a desempenhar JFK. A série que abordava a vida de JFK desde a eleição à sua passagem pela Casa Branca e consequente assassinato, mostrava-nos ainda, como JFK soube coordenar o problema chamado Cuba, como foi iludido no processo da "Baía dos Porcos", como teve medo do Vietname, como teve de gramar Hoover, e como sempre foi um enfant terrible com as mulheres. Na Terça-Feira Paulo Camacho surpreendeu-se quando PSL afirmava estar emocionado com os 40 anos da morte de Kennedy. Camacho achava que sendo um homem de esquerda, o mesmo, não impressionaria PSL, mas Kennedy não era um só um homem de esquerda, era um estadista, um humanista, um político com p grande. Quanto à pergunta que as janela para o rio faz, se o mundo estaria menos perigoso se Kennedy estivesse sobrevivido ao atentado, é evidente que para a mesma não existe resposta, apenas opiniões, conjunturas, porque a mesma encerra o célebre se. São essas opiniões que o jmf traz hoje, com as afirmações de Arthur Schlesinger, o homem que mais estudou Kennedy. E Portugal estaria melhor se Sá Carneiro não tivesse morrido? Passo a comparação.
-------- TITLE: O trânsito nos parques de estacionamento AUTHOR: TMA DATE: 11/20/2003 04:18:00 da tarde ----- BODY:
Há muito tempo que pensava em falar sobre este assunto, que me irrita solenemente. Neste país, no que concerne ao trânsito não existe respeito, todos sabemos. E para confirmar esta afirmação, temos os exemplos da forma de condução dos portugueses nos parques de estacionamento dos supermercados, centros comerciais, e afins. Qualquer parque de estacionamento necessita de sinalização para que possa ser aprovado aquando da inspecção camarária. E todos eles felizmente possuem. Mas para quê? E pergunto, porque é raro o automobilista que respeita a sinalização dos referidos parques, parece que existe a ideia na mente portuguesa, de que o código da estrada fica à porta dos parques de estacionamento. Quem é que ainda não teve um carro em contra-mão nos estacionamentos, e que por vezes, ainda é insultado por criticar tal acção? Tudo porque o português quer é efectuar o caminho mais curto, transgredindo assim, a sinalização. É lógico, que poderemos ser afirmar que, se o português anda em contra-mão na Auto Estrada, então como pode não o fazer no parque de estacionamento, ainda para mais, porque não existe qualquer policiamento. Além de que se os seguranças dos parques efectuarem qualquer comentário, o português não vê nele uma fonte policial, podendo mesmo insultar o referido elemento. Agora que a DGV vai alterar algumas regras ao código da estrada, era bom, se pensar sobre estas irregularidades que se cometem nos parques de estacionamento em Portugal.
-------- TITLE: Balneários AUTHOR: TMA DATE: 11/20/2003 04:02:00 da tarde ----- BODY:
Em conclusão do post de ontem, venho expressar o mesmo descontentamento e irritação, porque mais uma vez, este país defende quem não merece. Ontem fazia um repto à� FPF para que a mesma, castigasse severamente os participantes naquele acto selvático realizado no balneário após o jogo França - Portugal em Sub-21. Depois do Secretário Estado da Juventude e Desporto Hermí�nio Loureiro ter condenado os incidentes, e em boa hora, Gilberto Madaí�l aproveitou para considerar a atitude como uma «garotada», indo mais longe "Apresentámos desculpas à� federação francesa. Houve excesso de euforia, do qual resultaram danos que não serão tão elevados como aqueles que as imagens propositadamente deram a entender", "nos hotéis se atiram almofadas de uns quartos para os outros", "Atiraram garrafas de água, tinham as botas cheias de lama, partiram o tecto em contraplacado quando estavam a atirar alguém ao ar, brincadeiras que se fazem normalmente... também uma mesa de vidro porque se puseram em cima dela. Situações que podiam ser evitadas. A Federação responsabilizou-se mas os jogadores vão ter de pagar aquilo que partiram". Mas, só isto? Então consideramos que tudo não passou de uma "garotada", eles pagam os danos, que até parecem maiores na televisão, e o povo segue cantando e rindo. Mais uma vez, o sr. Gilberto Madaí�l demonstra a sua categoria como Presidente da FPF para aligeirar comportamentos, foi assim, com a selecão em 2000, foi assim com João Pinto em 2002, e agora com os "putos" em 2003. Esperamos agora pela punição da Uefa agendada para 4 de Dezembro, e podemos veremos quem irá pagar a multa. Esperamos por 2004 para ver se tudo continua na mesma!
-------- TITLE: Seremos arruaceiros? AUTHOR: TMA DATE: 11/19/2003 04:40:00 da tarde ----- BODY:
A selecção de Portugal em Sub-21 venceu ontem a França na marcação de penalidades, passando assim à fase final do Europeu da categoria. Até aqui, tudo bem! Julgo que todos os que viram o jogo, (JPP não) vibraram da mesma forma que o fiz. Saltamos quando Moreira defendeu, gritamos quando Ronaldo acabou com o sofrimento. Hoje pela manhã, comenta as peripécias do jogo com o dono do café onde tomo todos os dias o meu pequeno-almoço. E após, os comentários habituais de treinador de bancada, sou surpreendido quando o Sr. Porfírio me informa que os jogadores portugueses tinham destruído o balneário após o jogo. Não quis acreditar. Mas, se dúvidas houvessem retirei-as quando às 13, vi o Jornal da Tarde da SIC e pude constatar o estado miserável em que o balneário ficou. Será que somos arruaceiros? Selváticos? Pelo menos muito mal educados, somos concerteza. Os jogadores que compõem as selecções nacionais nos últimos tempos, a célebre "geração de ouro I e II", têm mostrado ao Mundo uma faceta anti-desportiva, nunca antes vista no nosso país. Em 2000, aquando do Europeu na Holanda, e depois de ter perdido com a França num penalty, que ainda hoje Abel Xavier diz que não cometeu, os jogadores partiram para cima do árbitro e fiscal de linha, e insultaram, arremessaram camisolas, empurraram, etc. Em 2002, na Coréia, foi a agressão de João Pinto ao árbitro da partida. Este ano, num Mundial de Sub-19, a equipa na final com a Itália, em vez de jogar, andou aos pontapés aos jogadores italianos. Para finalizar, o caso de ontem. Todos nós conhecíamos este lado anti-desportivo, porque costumávamos o ver, lá para os lados da América do Sul (este fim-de-semana demonstra-o). Agora, o que a FPF vai fazer? Quando os jogadores respondem que o tecto falso se partiu porque estavam a saltar, e o mesmo era baixo. Então e o café espalhado nos azulejos, e a mesa partida, e o chão completamente impróprio? A FPF só têm uma alternativa: rescindir o contrato com o Selecionador Nacional José Romão por ter participado e/ou contribuído para que tal acontecesse, castigar severamente os jogadores da Selecção e por último, obrigar os mesmos a pagar todos os custos dos seus actos. Não me sentiria bem, saber que os meus impostos enquanto contribuinte são canalizados para pagar este tipo de atitudes, ainda para mais, feito por pessoas que ganham milhares por mês.
-------- TITLE: What movie Do you Belong in? AUTHOR: TMA DATE: 11/18/2003 12:03:00 da manhã ----- BODY: CWINDOWSDesktopPirates.JPG
Pirates of the Caribbean!

What movie Do you Belong in?(many different outcomes!)
brought to you by Quizilla Depois disto? -------- TITLE: Governos AUTHOR: TMA DATE: 11/17/2003 01:50:00 da manhã ----- BODY: Parece que em concorrência ao Governo Sombra do Adufe, já temos na blogoesfera um novo PM. -------- TITLE: Raleiras AUTHOR: TMA DATE: 11/15/2003 08:12:00 da tarde ----- BODY: Ainda bem. Felicidades -------- TITLE: Agradecimento-2 AUTHOR: TMA DATE: 11/15/2003 03:31:00 da manhã ----- BODY: Retribuo os meus agradecimentos a JPC -------- TITLE: Ruela e Raleiras AUTHOR: TMA DATE: 11/15/2003 02:25:00 da manhã ----- BODY: Todos sabemos que fazemos parte de um país constituído por um povo corajoso, audacioso, aventureiro, sem temores. Por termos sido, e por sermos assim, é que à mais de 500 anos que andamos a mostrar ao Mundo as nossas capacidades de audácia. Foi assim, que descobrimos e conquistamos grande parte do Mundo, viajando em barcos, que hoje olhamos, como se de umas cascas de nozes se tratassem. Foi assim, que nos unimos nos momentos difíceis e reconstruimos uma Lisboa devastada por um terramoto. É por sermos corajosos que o Carlos Fino foi o primeiro a nos mostrar a última guerra no Iraque. É por sermos aventureiros que o mesmo Carlos Fino foi espancado, roubado e teve uma arma apontada durante quatro horas à sua cabeça. É por não sermos temerosos que o Rui do Ó, apesar de ter caputado da primeira vez, voltou ao Iraque, desta vez, para socorrer a sua colega de estação. É por sermos assim, que temos o Carlos Raleiras rapatado por um bando de iraquianos, e temos a Maria João Ruela hospitalizada numa tenda de campanha, depois de ter levado um tiro do mesmo bando. Tanto o Carlos como a Maria João são excelentes profissionais. Habituei-me a ouvir o Carlos nas manhãs da TSF, como o Rui, e sempre apreciei a forma como descrevia a situação no "teatro das operações" (sempre gostei muito desta expressão). Quanto à Maria João, que nos habituou nos últimos tempos aos desenvolvimentos da Casa Pia, espantei-me com a sua deslocação, mas como a aprecio profissionalmente, fiquei a aguardar as novas do Iraque. Tenho neste momento, o mesmo sentimento de angústia de CVM. Quanto ao que Carlos Fino dizia à pouco no Expresso da Meia-Noite, ou o que CVM contava sobre a preparação de Mário de Carvalho, concordo plenamente que os jornalistas deviam se preparar conveniente, mas o nosso grande problema, é sermos audaciosos, corajosos, aventureiros. Por sermos este país sem igual no Mundo inteiro, defendemos os nossos com unhas e dentes, e por isso, todos nós estamos a sofrer e angustiados até o Carlos ser libertado e vermos a Maria João regressar ao nosso país sã e salva. Boa sorte Carlos e Maria João! -------- TITLE: Agradecimento-1 AUTHOR: TMA DATE: 11/14/2003 02:32:00 da tarde ----- BODY: O meu agradecimento à bloguitica por ter sido o primeiro blog (que eu tenha conhecimento) a colocar o link do docedaavozinha, no seu. -------- TITLE: Resposta ao Manifesto AUTHOR: TMA DATE: 11/14/2003 12:09:00 da manhã ----- BODY: Hoje, recebi por intermédio de um amigo um e-mail, que incluía um recorte do DNA de 1 de Novembro com o texto de um sr. chamado José Mário Silva que tinha como título "Manifesto anti-benfiquista". E começava o dito sujeito "Gostava de começar por esclarecer uma coisa: eu tenho perfeita noção dos riscos que corro por ter escolhido este título..", ora como se pode constatar tentava o referido sujeito dar ideia de que os adeptos do Benfica apenas, e tão só, são arruaceiros. E continuava dizendo que "há heresias que se pagam caro". Para início gostaria de informar que não irei considerar o referido sr. como um herege, apesar de ele próprio se auto-intitular, chamarei apenas incoerente. E porquê? "nada disto seria grave se não se atribuísse um desmesurado peso mediático, sem correspondência com a sua verdadeira importância". Porque como pode o referido sujeito, efectuar um manifesto a criticar o "tempo de antena" que se concede ao Benfica, quando o mesmo perde o seu tempo "precioso", a escrever uma página inteira, com uns 1000 ou mais caracteres sobre esse clube que para ele devia "deixar de existir"? "uma pessoa pode vociferar contra o primeiro-ministro, contra a justiça...contra os Jerónimos, contra o Papa...contra o Camões, mas contra o Benfica é que não". No que diz respeito, ao país e o seu povo dizer mal de tudo menos do Benfica, espanta-me tal afirmação, quando nos últimos anos não se tem feito outra coisa se não dizer-se mal do Benfica. Lembro os três anos de mandato de JVA (não sou seu apoiante, que fique claro), que desde o primeiro dia da sua eleição até ao último encheu as primeiras páginas de jornais, provocando lucros consideráveis nas Administrações dos mesmos. Passado JVA, veio MV, esse Sr. que todos apelidavam de pessoa com hábitos amorais para a sociedade, como se os portugueses nem fossem os maiores assassinos na estrada, por excesso de alcóol, da Europa. Quando se davam as eleições que elegeram LFV, no mesmo dia, um jornal já trazia na sua manchete que o Presidente do Benfica está a ser investigado pela PJ. Quem não está neste país? Provavelmente terá este sujeito (o do manifesto, não o do bolo!) se esquecido de um ex-Administrador da SAD sportinguista, que estaria a ser investigado por causa daquela grande operação chamada "Barcos da Expo". Ou terá ainda se esquecido de mandar para as bocas do Mundo, o que se passa no Norte, e de como, certos presidentes de clubes sempre que tiveram empresas as levaram à falência. "o estádio nunca pode ser um estádio - tem que ser uma «Catedral»...a equipa não joga futebol de ataque - joga «à Benfica».A figura de estilo preferida na Luz...sempre foi(e há-de continuar a ser) a hipérbole". Quanto às hipérboles, é natural que o sujeito, não peceba, mas como noutro dia ouvia um grande amigo dizer: "Meter meio milhão à volta de um estádio, só porque é o dia do benfiquista, não é para todos". Pois não. É difícil de explicar o que é ser do Benfica, é difícil explicar porque o Benfica não é uma religião, É A RELIGIÃO (mais uma hipérbole). Também não concordo, com todo protagonismo que muitas vezes é dado ao Benfica, até porque por vezes, é nefasto. É lógico que não concordo com as 12 horas de emissão televisiva, ou as capas dos jornais de Lisboa (mas, será que o sujeito nunca viu a Marca ou Mundo Desportivo), mas por outro lado, compreendo que certas direcções de jornais, optem por essa via, é talvez a mais lucrativa. "para que é que serve, afinal, o SLB?" Para que serve o Benfica? Serve o mesmo, que todos os clubes chamados grandes em Portugal, para os formar como pessoas, como atletas, e posteriormente, o país beneficiar dos seus impostos, da sua projecção. O que seria de Portugal sem o Eusébio, sem o Futre, sem o Chalana, sem o Figo, sem o Rui Costa? Para finalizar, desejo muita sorte a este sujeito, não querendo com isto dizer, que alguém lhe fará mal, não porque, não damos importância a sujeitos destes. Desejo-lhe sorte por ter nascido e ter conseguido sobreviver e continuar a viver com tanta infelicidade nessa mente. -------- TITLE: A subtileza AUTHOR: TMA DATE: 11/12/2003 12:07:00 da manhã ----- BODY: Para que dizer mais, não é JPC. -------- TITLE: Orçamento AUTHOR: TMA DATE: 11/12/2003 12:06:00 da manhã ----- BODY: Sobre o orçamento de Estado para 2004, ao qual não me quero referir em grande pormenor, porque o mesmo já foi aprovado, apenas gostaria de indicar a Jaquizinhos mais algumas: - Todos os utentes das SCUT´s que provavelmente irão cortar estradas, neste país de brandos costumes. - Os médicos, essa classe tão desfavorecida que irá fazer greves porque o orçamento para saúde foi cortado. - etc., etc. Obrigado João por teres tocado na ferida. -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 11/10/2003 04:30:00 da tarde ----- BODY: O líder da Província Pinto da Costa é nos últimos anos, a figura mais importante no Norte do País, e principalmente, da cidade do Porto. Todos sabem que o FCP não é o meu clube de eleição. Mas, apesar de não o ser, temos que dar o mérito ao homem que construiu um clube de bairro, numa potência europeia e nacional, tendo nos últimos vinte anos, ganho 3 taças europeias, uma mundial e 12, salvo erro, títulos nacionais. Mas, PC tem um defeito: a Educação. Se PC fosse minimamente educado, não tinha nos últimos anos protagonizado, as guerras com políticos, agentes desportivos, autarcas, e até com os seus filhos. Mais uma vez, PC demonstra a sua falta de educação, quando ao elaborar os convites para a inauguração do Estádio do Dragão no Domingo, não envia o respectivo a Mota Amaral, Rui Rio, e mesmo a outros clubes e agentes desportivos. E fá-lo porque Mota Amaral marcou falta aos "deputados de Sevilha" (e com razão!), porque Rui Rio fez-lhe frente desde que tomou posse na CMP, e denunciou os acordos de comadres que PC fez com o PS local, porque até nem quis vir à inauguração da Nova Catedral (ainda bem!) não convida nem LFV, nem outros dirigentes, e porque não convida o seu próprio filho Alexandre, sócio de José Veiga. José António Saraiva no Expresso chama PC de déspota, deselengante, e mente pequenina, para caracterizar, toda esta falta de educação, agora JAS, não refere e bem, o que mata-mouros afirma na sua república das bananas. É que todos não entedemos a atitude de PC, mas e a dos deputados? Muitos deles, do PSD? Não defendem os seus companheiros de partido? Quanto a JPP, concordo com a sua análise na SIC ontem, mas quem é o político em altas funcões políticas que tem a coragem para criticar algo sobre o que um dirigente de futebol diz ou faz? -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 11/10/2003 04:02:00 da tarde ----- BODY: Floresta Passado que está três meses sobre os fogos florestais que assolaram todo o nosso país, voltei ao Alto Alentejo, por razões pessoais. Quando em Setembro, viajei pela última vez, a Marvão, deparei-me com toda a devastação efectuada pelas chamas do verão. Este fim de semana voltei a fazer o mesmo trajecto: A1-A23-IP2 até Castelo de Vide. E fiquei contente. Nestes últimos dois meses que separaram as viagens deslumbrei os trabalhos efectuados pelas Câmaras Municipais, pelo Estado e principalmente pelas gentes do campo, que viram as suas terras completamente destroçadas. O verde lindo do Alto Alentejo voltou a vigorar em zonas como Mação, Nisa, Marvão, entre outras, enquanto que as árvores queimadas foram derrubadas e os seus troncos levados para uma qualquer fábrica de madeiras. Ainda existe muito para fazer, ainda é preciso rejuvenescer muitas das zonas ardidas, mas congratulo-me que todas as entidades intervenientes tenham contribuído para renascer uma zona que sempre foi linda, quiçá, das zonas mais bonitas deste país. Quando à umas semanas, ouvia na SIC que o Estado em conjunto com as Câmaras, tinham construído as primeiras casas para realojar as populações desalojadas pelo fogo, e vi a dignidade das respectivas casas, fiquei contente. Agora, depois de ver a terra que sempre vi verde, a resuscitar, fiquei muito contente, por mim e pelo país. -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 11/07/2003 02:57:00 da manhã ----- BODY: Feriados Na sua opinião dominical JPP na SIC, sugeriu a redução dos feriados em Portugal como forma de intensificar a produtividade em Portugal. JPP, eu até posso compreender a sua "indignação", apesar de num passado presente um PM ter começado a cair por causa de um feriado. Agora, como vamos explicar aos empregados deste país tal redução? Como é que os funcionários públicos irão entender? Dou um exemplo: Numa Junta de Freguesia da Capital, todos os funcionários administrativos fizeram greve no dia 31 Outubro. A greve tinha sido marcada pelo STAL (Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local). Quando questionados sobre o teor da greve, os respectivos funcionários informaram que não sabiam as razões da mesma, e posteriormente começaram a marcar a hora para o encontro no Centro Comercial onde efectuar as suas compras ou a hora do bilhete de cinema. Cada dia que passa, mais me convenço que a maior dos portugueses fazem greve sem saber porquê, quanto mais saberem o significado dos feriados nacionais. -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 11/07/2003 02:50:00 da manhã ----- BODY: Regresso Depois de ter estado mais de uma semana em profunda amnésia, deparo-me com a actualidade deste país à beira-mar plantado. Tivemos de tudo, desde o lançamento de Harry Potter no Panteão, à entrevista do PR, o Frade, as manif´s dos estudantes, à derrota do Benfica com o Beira-Mar, ao caso Camarate de novo na berra e até mesmo ao novo estilo de Homem Barricado. No que diz respeito ao lançamento de Harry Potter em pleno Panteão, e depois de tudo o que li nos jornais e nos vários blogs por onde passei, julgo ser unânime que tal acto não devia ter sido realizado no referido espaço. Sou dos poucos portugueses que considera o Panteão como o monumento mais vivo entre os mortos da nossa História, e por isso, critiquei a colocação de D. Amália no referido espaço, por considerar que apesar da importância de Amália na nossa História, não considerava adequado supultá-la ao lado de nomes que mudaram e escreveram a nossa História. Ficarei ainda mais desiludido se este país tiver a infeliz ideia de colocar Eusébio no mesmo lugar aquando da sua morte, apesar de todo o meu fervor clubístico. Quanto à entrevista do PR, pouco à mais dizer do que isto, Jorge Sampaio é o novo Secretário-Geral do PS, e novo líder da oposição? Não! É que pareceu.... Quanto a Frade, o psiquiatra que não era, o homem que em 15 minutos tornou um humano em vegetal, apenas demonstrou a este país, como todo o processo Casa Pia se está a tornar tão ridículo como o advogado de Bibi. E congratulo-me de nunca ter precisado da sua ajuda. Sobre o apitão dos estudantes, já outrora escrevi sobre as suas reinvidicações, e ainda mais esclarecido fiquei com as explicações da Sra. Ministra do Ensino Superior, quando explicou matematicamente o custo dos estudantes universitários públicos em Portugal. Será que o estudante, meu amigo que estuda na Clássica, que tem um BMW Z3, que paga copos e jantaradas aos amigos, que possui um lugar cativo de 2500 Euros na Nova Catedral, entre outras regalias, não consegue poupar 75 Euros por mês, ou quiçá, pedir emprestado ao pai para pagar as propinas? Camarate! Camarate! Para quando Amaro da Costa e Sá Carneiro? Para quando? Descansem em Paz! Por último, essa história do Portugal no seu Melhor, em que um homem destroçado com a derrota do Benfica em casa com o Beira-Mar se barricou em casa tendo disparado tiros para o ar e expulso os pais de casa. Querem melhor que isto para caracterizar como este país anda? -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 10/30/2003 01:17:00 da manhã ----- BODY: Desculpem estou com amnésia. -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 10/26/2003 01:42:00 da manhã ----- BODY: Catedral Depois de tudo o que assisti durante o dia de hoje, apenas tenho palavras para dizer: que luxo!!! Mais uma vez, os benfiquistas provaram durante o dia de hoje que ser do Benfica é ser de uma religião diferente de todas as outras. Ser do Benfica é um estilo de vida, Ser do Benfica é pertencer a uma classe de pessoas que vivem, respiram e bebem sobre um lema - "Et Pluribus Unum". Será que o Aviz não percebe que só existe em Portugal uma Instituição que consegue movimentar massas e levar uma TV a esgotar a sua programação em 12 horas de emissão. É que a Nação afinal é cá embaixo..... Obrigado Mário Dias! -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 10/25/2003 01:39:00 da manhã ----- BODY: Livros - 1 Acabo de ler 10 histórias de amor em Portugal de Alexandre Borges. Um livro simples, de fácil leitura onde AB narra dez histórias que possam servir de referência a uma lusa forma de amar. AB decidiu narrar as histórias de amor de: D. Pedro e D. Inês; Luís de Camões e Dinamene; Camilo Castelo Branco e Ana Plácido; Antº Oliveira Salazar e Maria de Jesus; Vieira da Silva e Arpad Szenes; Sá Carneiro e Snu Abecassis; Paulo Oliveira e Ruth Bryden; Ernesto Sampaio e Fernanda Alves; Manoel de Oliveira e Maria Isabel; José Saramago e Pilar del Rio. Se a história de D. Pedro e D. Inês e Sá Carneiro e Snu Abecassis, muitos de nós já temos um conhecimento quase completo, é de destacar mais três casos neste livro. O de Salazar e Maria de Jesus, onde AB tenta narrar o amor não correspondido de Maria de Jesus e a forma como a empregada, a amiga, e a apaixonada de Salazar viveu toda uma vida ao lado do homem que sempre a ignorou. O de Paulo Oliveira e Ruth Bryden numa óptica sem preconceitos, onde se exprime o amor que um homem transformado em mulher, teve por um rapaz socialmente desviante(toxicodepente e prostituto), e o fez perceber que a vida não era a que vivia. Rapaz que acaba por se suicidar ao ver o seu companheiro a morrer nos hospitais. E finalmente, para mim o mais marcante, o de Ernesto e Fernanda, onde se define (se é que possível definir) o amor no seu expoente máximo. AB narra a história de um casal que viveu uma vida feita com amor, e que após a morte de Fernanda, Ernesto espiritualmente morreu, tendo posteriomente falecido de AVC. Um livro bastante interessante, num momento em vivemos constantemente em convulsões. -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 10/24/2003 05:08:00 da tarde ----- BODY: Reflexão De um email recebido esta tarde: Há 3 razões lógicas para se ser Benfiquista: - A razão natural: a mulher dá à luz, não dá às antas nem a alvalade; - A razão bíblica: há uma passagen na bíblia que diz: "dominarei os leões e os dragões e voarei para o ceú sobre as asas de uma águia" - A razão teológica: Jesus Cristo encarnou. Não azulou nem esverdeou! -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 10/24/2003 12:55:00 da manhã ----- BODY: MMC 2 À uns dias atrás escrevia o quanto Manuel Maria Carrilho me faz rir. Na altura escrevia sobre a sua comparação fantástica entre o caso Pedroso e Martins da Cruz. Além disso, na altura alertava para o facto de MMC ter respondido a RGC na SIC que não tinha ido à fanfarra do PS às portas da AR, porque estava a trabalhar no Hemiciclo. Mas, MMC não tinha ido porque, como afirmei na altura, ninguém da Comissão Política do PS gostava dele nem vice-versa. Hoje, MMC veio novamente colocar o riso na minha face, e logo pela manhã, quando li a sua carta aberta aos socialistas no DN. Para além, de confirmar que eu e todo o Portugal tem razão, ao afirmar do ódio existente entre MMC e CPPS. Como Barnabé diz bem, só poderemos esperar que MMC se candidate em Congresso, para de uma vez por todas perceber que não existe no PS. Para terminar os meus sorrisos, MMC na SIC esta noite, voltou novamente a fugir ao problema, não dando a mínima satisfação à carta que escreveu, quando questionado por RGC. MMC continua, porque continuas a divertir-me. -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 10/22/2003 01:09:00 da manhã ----- BODY: A irritação De algumas semanas para cá que a relação entre Moura Guedes (MMG) e Miguel Sousa Tavares (MST) não é das melhores. Quando a opinião de MST entra no forum da Casa Pia ou de outros crimes parecidos, MMG tem um comportamento completamente irritante e intrometido. MST vai aguentando, mas hoje, MST passou-se. Discordo de muitas opiniões que MST debita nas páginas do Público, de todas as suas opiniões no Jornal A Bola, e por vezes, não concordo com alguns comentários que faz na TVI. Agora que MST tem razão para se irritar com MMG, isso ninguém pode negar. MMG interrompe, opina, salta para cima de MST e só não parte para a luta, propriamente dita, porque....sei lá. Se MMG quer o lugar de MST, porque não propõe ao Director de Programas, por acaso seu marido, José Eduardo Moniz, para substituir MST, ou então Marcelo, ou então ficar a opinar à 5ª para fazer concorrência ao meu adorado MMC. Agora, por amor da santa, MMG CALA-TE, e deixa o homem falar. Para finalizar, poque será que as audiências do Jornal Nacional caem na semana em que MMG é a pivot? -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 10/22/2003 01:01:00 da manhã ----- BODY: O Discurso Eram 20.00 H quando as televisões nacionais abriam os seus telejornais em directo do Palácio de Belém, onde Jorge Sampaio iria falar à Nação. As televisões minutos antes, em rodapé (essa linda forma de informar), alertavam para a comunicação do PR. Se estivessemos na América, diríamos que Bush iria propor outra guerra qualquer. Mas, como estamos em Portugal o assunto era escutas. No café onde estava, as pessoas calaram-se, o dono aumentou o som da televisão e todo o povo ficou estarrecido a ouvir a mensagem do PR. Passado 10 minutos voltou o barulho, o som da TV baixou, e as pessoas continuaram a falar sobre o que lhes ia na alma. Retirei do discurso do PR duas situações: 1. O almoço ocorreu para saber em que ponto estava o processo Casa Pia, apenas e tão só isso. Tendo ainda, o PR dado a sua "palavra de Honra" de que não interfere em nenhuma instância, apesar de ser o mais alto dignatário português. 2. Aproveitou o PR para alertar os portugueses que o país não vive com a novela (sic) Casa Pia, e que tanto o PS como os restantes partidos da oposição devem perceber que à muitas questões importantes para discutir sobre Portugal. Considero que o PR tentou "puxar as orelhas" a toda a direcção do PS, tentando abrir os olhos de quem os traz fechados. -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 10/21/2003 03:34:00 da tarde ----- BODY: Suiça No DN de hoje, vem o título "Suíços votam contra estrangeiros".O texto noticia a vitória da UDC (União Democrática do Centro), partido de extrema-direita, que obteve a maioria dos votos de Domingo. A UDC defende um referendo de limitação dos imigrantes na Suiça, que constituem hoje, 30% da população activa, ou seja, 1,2 milhões de pessoas. O discurso que a UDC efectua não é muito distante dos discursos vistos à 2-3 anos atrás na Áustria, ou mesmo os efectuados por Le Pen em França, que obrigaram o povo a votar à força em Chirac. Se olharmos para o nosso pequeno país, observamos que o discurso de Paulo Portas, apesar de mais moderado, começa a colar-se aos acima referidos. A vantagem em Portugal, é que ainda estamos a viver a revolução de Abril, e com isso, ainda vivemos os referidos ideais. Para além de que Paulo Portas está no Governo e por isso, modera o seu discurso em função dos cargos que ocupa. A democracia em Portugal ainda é para muitos, uma jovem personagem no panorama político, e com isso, levamos vantagem sobre países que após a 2ª Guerra Mundial e consequente queda de Hitler, viraram para a democracia e iniciaram o seu processo de construção política. Mas, com os anos a passar, e as crises a aumentar, podemos sofrer o efeito desta onda extremista em Portugal. E se constatarmos, Portugal é facilmente influenciável, por estas políticas extremistas, basta sermos um país com larga percentagem de imigrantes, de todos os cantos do Mundo, aumento no Desemprego para números elevados, para além de sermos um povo racista. Esperemos para ver o que futuro nos reserva, mas devemos acima de tudo, começar a olhar para estes resultados, de uma forma menos leviana, para no futuro, não termos supresas desagradáveis. -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 10/21/2003 01:00:00 da manhã ----- BODY: A cunha do PS JPP na sua análise de Domingo na SIC, pôs o dedo na ferida, e de forma simples, caracterizou a célebre história das escutas a Ferro. Tudo não passou da cunha que o PS tentou pôr nas altas instâncias judiciais e governamentais do nosso país. O PS e, principalmente Ferro Rodrugues, tem que perceber que todo este processo e a forma como o partido ou a direcção do mesmo, o está a conduzir, só vai levar a um único destino: a descredibilização dos portugueses no PS. Todos temos consciência que o maior partido da oposição não tem tido nos últimos anos, a tranquilidade que provavelmente desejava, mas se não a tem, é porque também não luta por ela. Dr. Ferro Rodrigues não teria sido mais fácil aproveitar a onda que a cunha do ministro Pedro Lynce estava a provocar, do que efectuar aquela fanfarra na AR para receber PP? Quando o país andava a falar, a gritar, a questionar sobre a cunha do ministro, FR dava o maior tiro no pé. Quanto à questão de PP voltar à AR, apenas merece uma pergunta. Não foi PP e o PS, que à uns meses atrás, solicitavam aos gritos (como sempre acontece na AR), a demissão do ministro Paulo Portas, por este estar arrolado como testemunha no caso Moderna? Mais um tiro no pé, FR. Chegados a este momento, em que nos transcrevem as escutas, pouco me importa, se FR está ou não se "cagando" (sic) para o segredo de Justiça, ou manda todos os elementos da justiça, para onde mandou. Importa sim, solicitar ao Dr. Jorge Sampaio, PR deste país, que explique realmente o que falou com Souto Moura, no tal almoço, se é que existiu. É importante esta explicação, para o bem da credibilidade que o PR tem na opinião pública. O único provavelmente a poder gabar-se de tal sorte. -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 10/18/2003 03:14:00 da manhã ----- BODY: Benfica Depois da minha segunda visita ao Estádio do Bessa no espaço de dois meses, volto a vir desiludido com o meu SLB. Da primeira vez frente à Lazio, a desilusão era mais de frustação. Ontem o meu regresso tardio, foi uma desilusão de realismo. Viajei para o Porto na companhia de um amigo, encontrando-me no Porto com mais dois, e diga-se, que a viagem até nem correu mal, até porque o sentimento positivo que levava na bagagem era enorme. Julgava eu, que ia espetar com uns 6 ou 7, como nos velhos tempos. Depois de uma verdadeira aventura no trânsito "tripeiro", sento-me na bancada nascente superior do Estádio do Bessa. Após os primeiros 15 minutos de jogo, encosto a fronte ao tubo que se encontrava à minha frente e convenço-me que os 6 ou 7 já eram. Depois de muitos cigarros fumados, chego ao intervalo a zero e desiludido. Regresso do bar com água para refrescar a garganta cansada de tanto gritar para o relvado como se de um Camacho me tratasse. Início do segundo tempo com um Benfica à Benfica, não o do Vale, mas o dos anos 70-80. 9 remates, 9, para total desespero, e finalmente o golo, o grito, a festa, o levantar as mãos aos céus como que agradecer aquele Deus que queremos que seja sempre dos encarnados. Passam-se 5 minutos volto a colocar a fronte no tubo, fumo mais uns quantos cigarros e conformo-me. No fim, vejo um estádio de pé a bater palmas como se tivesse acabado de ver o maior concerto de Pavarotti. Fico sentado, olhando, quieto e conformado. Saio e vou jantar na Boavista. Sento-me e perguntam-me porque estou tão inconformado, respondo apenas que estou conformado. Explico que não posso ter gostado, de uma equipa que joga com uns "carteiros", e apenas ganha por um a zero. Para além disso, mais uma vez informo os presentes que não vi um Benfica à Benfica, porque para mim não basta dominar os 90 minutos. Pedro Mexia escrevia à umas semanas no DN que era um benfiquista racional, eu não o sou, eu sou dos fanáticos. E por isso, não me basta só ganhar, preciso de mais, preciso de jogar bem, exigo que sejam "galácticos" à sua maneira. Preciso do Benfica que sempre conheci, e que não vejo à pelo menos 10 anos. -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 10/13/2003 08:15:00 da tarde ----- BODY: Fanfarra Sinto-me satisfeito por perceber que não fui o único a achar que a fanfarra a PP foi perfeitamente desnecessária. -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 10/13/2003 08:13:00 da tarde ----- BODY: José Lamego A Dra. Ana Gomes na sua "linda" e "urdidura" entrevista ao DN de ontem, questiona quem irá pagar as despesas de José Lamego na Administração do Iraque. Espantoso, Dra. Ana Gomes! O PS continua na sua tempestade de ideias. José Lamego, é no momento uma das maiores figuras do PS actual, a par de António Vitorino. Quanto a António Vitorino, a direcção do PS, não se importaria muito, que o mesmo tivesse ganho a corrida a Secretário-Geral da NATO, permitindo assim, o seu afastamento de Portugal e da sua mais que provável candidatura a Secretário-Geral do PS. José Lamego, que aceitou uma recomendação do Governo de Durão Barroso, tornou-se logo um herege dentro do PS. Não seria esta recomendação uma forma de regozijo para o PS? Não seria uma forma de aproveitar a onda e explorar esta recomendação? JL é um quadro do PS, que pelas suas capacidades, foi recomendado para uma missão que se prevê difícil. O PS continua a desprezar os seus quadros. Desprezou António Guterres, apesar de nesse caso ter alguma razão, porque o seu líder tinha abandonado o barco da forma como sabemos, mas daí, a desprezar todos os seus quadros, que por qualquer razão, sejam chamados para missões governamentais e/ou recomendados pelo Governo actual, vai um longo percurso. -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 10/13/2003 07:35:00 da tarde ----- BODY: A intolerância Estudantil Os estudantes andam na rua novamente, desta vez, pelo aumento das propinas impostas pela política renovadora de Pedro Lynce. A maior parte da sociedade portuguesa concorda com a nova metodologia, e eu também. E concordo, porque os estudantes do ensino superior público, têm-se que convencer que para puderem reclamar por melhorias nas instalações universitárias, por melhorias nas condições do próprio ensino, têm que pagar. Se observarmos o nosso ensino superior, chegamos rapidamente à conclusão de que quem usufrue as universidades públicas são essencialmente os estudantes em que os pais possuem melhores condições financeiras. Nas universidades privadas temos em grande maioria os estudantes em que os pais fazem sacrifícios, por vezes desumanos, para dar os seus filhos condições de terem no futuro uma vida melhor. Quando vemos os estudantes das públicas na rua a reclamar por irem pagar no máximo 800 e tal Euros de propinas por ano, imediatamente comparamos com as privadas e constatamos que esse valor daria para pagar duas mensalidades. Para além tudo isto, tenho que obviamente concordar com o que JPP disse ontem na sua análise semanal na SIC. Dizia JPP, que os estudantes podem efectuar piquetes de greve, mas não podem fechar universidades, nem mesmo cortar estradas, como eles afirmavam dias antes. Teremos chegado a uma ditadura estudantil? Não terão os alunos que concordam com esta reforma, e que se calhar não são poucos, direito a entrar nas universidades? Ou será que se as universidades estivessem abertas, a adesão era insignificante? Deverá o Estado ser tolerante para com pessoas que fecham universidades e estradas? Com certeza que não. E por isso, considero que o governo de Durão está a ser forte na defesa da sua reforma, mas no futuro, terá que ser ainda mais forte para combater com a intolerância demonstrada por um grupo de estudantes contestatários, movimentado, como sempre, por grupos partidários que bem conhecemos na nossa sociedade. -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 10/11/2003 01:38:00 da manhã ----- BODY: A Fanfarra a vê-lo passar Paulo Pedroso (PP) foi libertado à dois dias, como todos sabemos e vimos. Como prova de "solidariedade" os deputados do PS colocaram-se à porta das traseiras da AR, para ver PP passar. E aqui começa quanto a mim o maior problema desta libertação. Não vou a criticar em termos jurídicos, porque não é nem a minha vocação, nem a minha função, vou sim comentar a fanfarra em termos sociais e polítcos como cidadão. Os deputados do PS à excepção de alguns, principalmente MMC (post ontem), abandonaram o hemiciclo para cumprimentar, abraçar, beijar PP. Como no mail que já corre na Net, até o "emplastro" lá esteve. E porque é que eu não concordo com toda esta fanfarra? Porque todos aqueles senhores são deputados de uma nação, eleitos e pagos pelos contribuintes para legislar, defender os direitos dos cidadãos, entre outras obrigações. Não são pagos para abraçar um deputado que esteve preso preventivamente e acusado de práticas sexuais com menores, e que regressou a AR como se preso político se tratasse. Percebo que as tradições do PS passem por aí, mas lembrar 74, para um caso destes é demais. Mais grave ainda na minha opinião, é a decisão de levantar a suspensão de PP e de o mesmo regressar a AR. Se a credibilidade da AR já estava diminuta, então agora não sei onde se irá situar. Mas entendo a posição do PS, porque PP vai significar um novo fôlego para Ferro Rodrigues, um líder fraco por natureza. Vai significar o aproveitamento mediático da Comunicação Social, que ao segundo dia de liberdade, continua a perseguir PP para todo o lado, como se PP fosse um morador de um BB político. Mal vai a política em Portugal. -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 10/10/2003 12:00:00 da manhã ----- BODY: A comparação incomparável Manuel Maria Carrilho (MMC) é o político que mais vontade de rir me dá. Sempre deu. Desde o princípio, desde o WC ministerial mais caro de sempre. Mas, hoje falo de MMC porque me deu uma vontade de rir imensa ver e ouvir MMC, comparar esta noite na SIC, o caso da saída de Paulo Pedroso e o caso da "cunha" de Martins da Cruz. Sobre o primeiro caso, e não aprofundando, até porque prometi a mim mesmo que não falaria da Casa Pia nos próximos tempos, trata-se de uma correcção a um acordão, e trata-se da correcção da pena a um arquido num processo de pedofilia. Não convém esquecer que Paulo Pedroso continua como arguido no processo Casa Pia. Quanto ao segundo caso, trata-se de um erro político do mais patético, que nos últimos tempos assistimos em Portugal. E patético, porque Martins da Cruz tem culpa na célebre "cunha", seja porque telefonou, seja porque alguém falou por ele, seja porque não explicou à filha, que apesar de ser ministro, isso não significava cunhas, mas sim cuidados redobrados. Agora, como pode MMC dizer que estes casos são comparáveis? O que eles têm em comum? Nada. E com mais vontade de rir fiquei com a justificação que MMC deu a Rodrigo Guedes Carvalho, do porquê da sua ausência na fanfarra às portas da AR ontem à tarde. Porque estava a trabalhar no Hemiciclo. Ainda bem, porque deve ter sido o único que ficou na bancada do PS. Aliás sobre este assunto, falarei amanhã. Mas MMC devia ter dito na SIC que não foi para a fanfarra porque não se dá com Paulo Pedroso. Porque não se dá com Ferro Rodrigues. Porque não se dá com a Comissão Política do PS. Nem o inverso acontece. Foi por isto, que MMC não foi receber PP como todos os outros o fizeram. Era isto que MMC devia ter dito, mas não disse, e com isso, fiquei a rir até às lágrimas. Obrigado pela boa disposição, MMC! -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 10/09/2003 05:50:00 da tarde ----- BODY: A nova MNE A notícia de Teresa Patrício Gouveia como a nova ministra do Governo de Durão Barroso supreendeu muita gente, entre elas, Ricardo Costa. No dia da demissão de Martins da Cruz, Ricardo Costa jurava pela sua honra, tentanto ironizar com Martins da Cruz, sobre a notícia que a SIC avançava de o novo ministro ser o actual embaixador de Portugal na REPER. Ricardo Costa chegou mesmo a pedir ao PM que o suprendesse. E Durão fez-lhe a vontade, a ele e provavelmente a muita gente. Teresa Patrício Gouveia volta a governar uma pasta ministerial em governos dirigidos pelo PSD, e pela sua postura, pela sua empatia e principalmete pela sua discrição será concerteza um grande trunfo de Durão Barroso para a recta final deste mandato. Tem pela frente a missão de negociar, se é que é possível, as alterações à Constituição Europeia que Portugal tenta impor, e que o núcleo duro europeu não está minimamente interessado. Quanto às demissões dos ministros Pedro Lynce e Martins da Cruz, concordo com José António Saraiva, quando considera que o país não pode ver os seus ministros demitirem-se constantemente por notícias da comunicação social. Não é vantajoso, nem em termos económicos, nem termos de estabilidade política e social. -------- TITLE: AUTHOR: TMA DATE: 10/09/2003 05:01:00 da tarde ----- BODY: yes --------